Buscar
  • Sérgio M. Botelho Júnior

Quirino fala da importância da organização e planejamento no serviço público de transtornos mentais



Em entrevista o jornalista Sérgio Botêlho Júnior, o Secretário Nacional de Cuidados e Prevenção às Drogas do Ministério da Cidadania (SENAPRED/MC), Dr. Quirino Cordeiro Jr., falou da importância da organização e do planejamento na gestão pública de saúde mental e apoio psicossocial.


A fala foi posta na 4ª Live Imagineacredite, onde o secretário pode colocar de forma bem didática a importância da realização de um diagnóstico situacional, de indicadores e metas, bem como do planejamento e controle de forma a tornar o serviço mais eficaz e eficiente com experiências acumuladas durante sua trajetória à frente de unidades psiquiátricas em São Paulo.


Aliás, foram essas experiências vividas em São Paulo que o fez se dedicar ainda mais a causa da dependência química e a se movimentar para chegar a capital federal, com o simples objetivo de mudar as políticas públicas de saúde mental, feito conquistado em meados de 2016 e 2017 no Ministério da Saúde; e a Política Nacional Sobre Drogas, conquistada em 2019, com o governo Bolsonaro.


De acordo com secretário, as políticas adotadas anteriormente estavam eivadas de ideologia e de um inchaço causado na gestão pública federal pelos governos de esquerda. “Quando cheguei ao Ministério da Saúde, a equipe era tão grande que as pessoas tinham que se reversar para realizar o seu serviço. Era um absurdo, mas quando sai de lá deixei apenas uma equipe eficiente de 20 pessoas. Porque não faz sentido você ter três pessoas para fazer o serviço que uma pessoa somente consegue dar conta”, relembrou. “Com o governo Bolsonaro buscamos dar maior efetividade as ações levando em consideração aspectos técnicos e não ideológicos”, completou.


A Igreja e as CTs


Para Quirino, as igrejas desenvolvem um papel muito importante ao conseguir desenvolver nos acolhidos a espiritualidade. “Existem vários estudos mostrando que pessoas que têm uma espiritualidade mais desenvolvida e que frequentam comunidades religiosas são mais protegidas do uso de álcool e drogas. Outra questão importante é que por meio do desenvolvimento da espiritualidade existe uma possibilidade maior do dependente químico se recuperar. Então o fator da espiritualidade dentro das CTs é fundamental”, observou.


Implantação da PNAD


Quirino disse que o ponto maior da implantação da nova Política Nacional Sobre Drogas é a integração das entidades da sociedade civil, como CTs, grupos anônimos e de mútua ajuda. Com eles, a ideia é fortalecê-los e dar maior capilaridade aos serviços. Já em relação aos Estados e Municípios, Quirino informou que alguns trabalhos foram iniciados com os gestores. “A grande novidade que nós temos é chamar os gestores estaduais para trabalharem conosco, alinhando e pactuando ações”, comemorou.


O que esperar do governo federal?


Segundo Quirino, a sociedade pode esperar a continuidade da luta contra a liberação das drogas no Brasil, da parceria com as comunidades terapêuticas, da intensificação das ações de prevenção às drogas com o PROERD, de ações preventivas no trânsito, e de fortalecimento da atuação da família na prevenção ao uso de álcool e drogas, entre outros.


Confira a entrevista na íntegra: https://m.facebook.com/story.php?story_fbid=10158507066494324&id=532459323


Por Sérgio Botêljo Júnior

©2019 por Imagine.Acredite