©2019 por Imagine.Acredite

Buscar
  • Sérgio M. Botelho Júnior

Casa do Menor inaugura comunidade terapêutica em Nova Iguaçu

Na manhã desta quinta-feira, 15, foi inaugurada a Comunidade Terapêutica São Miguel Arcanjo, mantida pela Casa do Menor São Miguel Arcanjo, no bairro Tinguá, em Nova Iguaçu – RJ. A solenidade contou com a presença dos novos acolhidos, representantes da Prefeitura Municipal de Nova Iguaçu e sacerdotes da região.


Com a inauguração, o Rio de Janeiro passa a contar com mais uma comunidade terapêutica, que tem capacidade para acolher 20 dependentes químicos que se recuperarão por meio de um tratamento baseado na convivência, no trabalho e na espiritualidade. Por isso, em seu discurso, o padre Renato Chiera, fundador da Casa do Menor no Brasil, após a leitura da palavra do dia, lembrou a CT era o pai que acolhe seus filhos feridos sem julgamentos.


“O pai que vai ao encontro, que cobre, que abraça e que beija é a Casa do Menor, porque nós nascemos para isso. Muitos lá fora dizem que não vai dar certo, porque estamos tratando com marginais, até os próprios meninos dizem que eles não têm mais jeito. Mas nós somos esse pai que cuida, que abraça e que não diz: ‘sem vergonha’, ‘desgraçado’, mas aquele que quer o bem e que faz festa, porque ama, porque acredita que no menino não há somente maldade, tem coisa boa. Nós acreditamos que cada um de nós é um filho de Deus ferido, mas não destruído”, discursou Chiera.


Já o padre Márcio, que representou Dom Gilsom Andrade da Silva, Bispo da Diocese de Nova Iguaçu, lembrou que será a experiência com Deus que ajudará a nova comunidade terapêutica a recuperar e promover as vidas dos seus acolhidos. “A concepção e experiência que nós temos de Deus é que vai mudar todo o nosso ciclo de vida. Então conhecer esse Deus que é amor e essa experiência em que Deus teve compaixão é que vai fazer com a gente possa ter e ser essa presença amorosa de Jesus em meio. Porque a gente acredita que é através da Casa do Menor que a gente é capaz de conhecer profundamente Deus, ao acolher tantas pessoas caídas e abandonadas pela sociedade”, acrescentou o sacerdote.


Enquanto o padre Pedro, representante da comunidade terapêutica Sementes do Verbo, baseado nas cartas de São Paulo, disse aos jovens acolhidos que, apesar das dificuldades, eles não devem nunca desistir de si e da vida. “Devemos guardar essa esperança de sempre diante das nossas caídas, eu devo me levantar e sempre recomeçar. Todos devemos fazer isso, porque a qualquer hora podemos cair, porque João Paulo diz ‘Cuidado àqueles que estão de pé’”, observou o padre.


Além das lideranças religiosas, a solenidade também contou com a presença da Elaine Medeiros, secretária Municipal de Assistência Social de Nova Iguaçu, que, na ocasião, destacou a importância da Casa do Menor para a sociedade brasileira. “Nosso propósito é fazer uma parceria nova com a Casa do Menor, apoiar esse projeto! Porque a gente sabe que hoje são tantos impedimentos jurídicos para a gente no campo jurídico e legal, mas a gente reconhece o trabalho e o esforço que a Casa do Menor faz para manter esse projeto funcionando. Por isso, nos colocamos à disposição naquilo que pudermos contribuir”, disse a secretária.


A Comunidade Terapêutica São Miguel Arcanjo apresenta-se como a primeira de muitas outras CTs mantidas pela Casa do Menor, pois como disse Lúcia Inês, presidente da obra, em entrevista exclusiva ao Portal Imagine Acredite, a instituições possui outras unidades Brasil afora que podem abrigar novas CTs. Contudo, tal expansão, de acordo com ela, só depende de Deus. “Nós estamos aqui para corresponder aos sinais e as vontades de Deus, então depende muito do que Deus tem preparado, porque a obra é dele”, salientou a presidente da Casa do Menor.


Por Sérgio Botêlho Júnior